Leia, Pense e ... Seja bem-vindo!!!


sábado, 8 de dezembro de 2012

Queria estar em Carrancas ...

Queria estar em Carrancas hoje. Pelo jeito, não vai dar. Queria estar lá e celebrar com amigos e antepassados a Festa da Padroeira. De qualquer maneira, já agradecemos a Deus o carinho de nos ter dado uma Mãe ama  e , como dizia meu pai em relação à Imagem da Senhora de Carrancas:" mestra de olhar severo, pronta a direcionar".

Vai que as coisas mudam e vamos até Carrancas. "Para Deus, nada é impossível" ,diz o Evangelho do dia  !!

PS.: Na busca pela imagem de Nossa Senhora da Conceição de Carrancas, me deparei com o site da paróquia de lá. Muito legal !! http://paroquiansccarrancas.blogspot.com.br/

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ao Arquiteto Bossa-Nova

O Brasil ganhou o Oscar
Um longa metragem
Um filme de vida (bem vivida)
Onde o abstrato e o concreto
Conviveram com o toque do Midas

Ele
O homem-projeto
Que via a mulher como objeto
De Longeva Inspiração.

O Arquiteto Bossa-Nova
O Artista do Concreto
O Maestro do concerto
Da Sinfonia de Brasília
Ao (ainda) projeto da União das Nações

Ele
O Pensador Comunista
Idealizador do lugar (nada) comum
Inventor de Escola
Moderna por Conceito
Sempre Nova por Inquietação
E, para nossa sorte,
Brasileira !!!

Ele
Só não pensava em um projeto
O do passamento...
Era Vida sempre renovada
(vá gostar do novo assim lá em Brasília)
Orgulho de uma nação despatriada
Passou da vida para a Vida
Porque poucos como Niemeyer
Mereceram ser eternos.

Oscar Niemeyer, Vinícius de Moraes, Tom Jobim e a Inspiração dos Três


PS: Bateu tristeza saber ontem da morte de Niemeyer.
Fica um legado maior que sua obra: Viva o dia de hoje como se fosse o último, e o último demorará a chegar !!! 

sábado, 17 de novembro de 2012

Rabiscando o Sagrado

Alguém disse que em assuntos espirituais quem não evolui, regride. É uma advertência forte, mas creio verdadeira. Sempre há uma maneira melhor para se aproximar de Deus. Os santos descobriram isto e cada um, na sua realidade, procuraram fazê-lo de modo evolutivo.

A prece e a meditação nos levam a um contato mais próximo a Deus. Interessante quando sugerem que basta pedir a Deus duas coisas: Conhecimento de Sua Vontade em relação a nós e Forças para realizá-La. O "conhecer" a vontade de Deus passa pelo meditar nos rastros por onde Ele se encontra. As leituras espirituais são fontes da presença divina e que nos levam a confrontar o nosso eu com a essência espiritual.


Já falei em posts antigos da grande descoberta que me foi a Lectio Divina. Ouvi um religioso dizer da maneira interessante de meditação ao destacar na Bíblia as passagens que nos chamavam atenção. Fiquei meio constrangido. A Bíblia para mim era, confesso, algo para ser "preservado". Sentimento piegas e pouco prático. Embora possua duas Bíblias de estimação: presente de Crisma e  presente de Casamento, a que uso para meditação (Nova Tradução na Linguagem de Hoje) é agora cheia de rabiscos e notas. Aderi.

Hoje , rabiscando o Sagrado, aproximo a minha realidade da de Deus, que quer ficar por perto, que quer fazer parte. Leio, rabisco, medito,oro e escuto.


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Alcoolismo: comportamento previsível !!!

Texto retirado de http://www1.folha.uol.com.br/colunas/ruycastro/1181389-ex.shtml

Ex

RIO DE JANEIRO - Prometi-me não escrever mais sobre Adriano, o ex-Imperador, ex-atleta, ex-jogador. Aos 30 anos, sua carreira no futebol está encerrada. Todas as tentativas para recuperar seus tendões, fazê-lo perder 20 kg e botá-lo em forma, por mais bem planejadas, fracassarão. A tendência é a de que as notícias a seu respeito logo deixem as páginas de esporte e se mudem para outros cadernos dos jornais.
Mas, se o jogador não é mais personagem, resta o homem --e é este que, mais do que nunca, está em perigo. O Flamengo, clube que o revelou e do qual ele se afastou de vez nesta segunda-feira, mantinha-o "treinando" por medo de que, sem o futebol, Adriano emburacasse de vez. A intenção era louvável, mas inútil. Ele já emburacou. Não tem mais controle sobre seu comportamento. Quem o comanda é o álcool.
Adriano sobe aos palcos ou à mesa dos botequins e se diz "orgulhoso de ser da favela", que "tem dinheiro, mas não precisa dele" e é vítima "da inveja". É a prepotência em pessoa. Não admite seu único problema: o de que sua vontade tornou-se uma combinação de água, malte de cevada e lúpulo.
Ainda não chegou ao estágio em que o sentimento de culpa faz com que o alcoólatra cogite sinceramente interromper o consumo (mas não consegue, porque o organismo já fala mais alto do que o cérebro). E, pelo tom eufórico de suas aparições, sempre registradas pelas câmeras, ainda não foi tomado pela depressão e pela inércia. Mas tudo isto --culpa, depressão, inércia-- sobrevirá, e não terá a ver com o fato de ele estar "treinando" ou não. Será apenas uma fase inevitável do processo.
A única chance para o homem Adriano seria uma internação de pelo menos seis meses em clínica especializada e de regime fechado. Mas os alcoólatras têm uma lógica própria. Não se envergonham da doença --só do tratamento.
Ruy Castro Ruy Castro, escritor e jornalista, já trabalhou nos jornais e nas revistas mais importantes do Rio e de São Paulo. Considerado um dos maiores biógrafos brasileiros, escreveu sobre Nelson Rodrigues, Garrincha e Carmen Miranda. Escreve às segundas, quartas, sextas e sábados na Página A2 da versão impressa.

COMENTÁRIO DO BLOG:  O escritor Ruy Castro há algum tempo assumiu o seu problema com alcoolismo. Conhece do tema e sabe da evolução da doença. Chama a atenção as duas últimas frases de sua brilhante crônica:" (...) os alcoólatras têm uma lógica própria. Não se envergonham da doença --só do tratamento."

domingo, 11 de novembro de 2012

Vida Longa aos Livros ( e aos sebos)

Há algum tempo queria falar aqui sobre os sebos. O Ruy Castro, escritor que admiro  e leio, em uma de suas colunas da Folha me motivou. Sugiro que leia o texto do Ruy e a gente continua a conversa.



http://www1.folha.uol.com.br/colunas/ruycastro/1183566-perecivel-mas-indestrutivel.shtml

O motivo de os livros estarem no sebo não me interessa tanto. Há livros novos no sebo, não se enganem. De tão novos, muitas vezes o preço não me atrai tanto e acabo ficando com os menos conservados. Em São Tomé das Letras encontrei um O Homem Que Matou Getúlio Vargas, do Jô Soares, em ótimo estado, por 18 reais. Por motivos de gosto alheio, não tinha a quantia na hora e fiquei sem a pechincha. Mas lá volto, pelo Jô , ou por outro bom autor.

Há também o bom papo em sebos. Se você tiver a graça de encontrar o proprietário à sua disposição, se prepare para uma conversa de alto nível. Quem conhece o João, que foi dono do meu sebo favorito em Lavras, sabe do que estou dizendo. O João está em outros caminhos profissionais (desejo sucesso, você merece !!!) e agora frequento o Sebo Quaquira, na Pça Dr. Jorge, também muito bom.

Gosta de ler, visite um sebo. Vá sem pressa. Garimpe.

Não gosta de ler e ganhou um livro? Faça um bom negócio: venda-o a um sebo. Você fará um leitor feliz!!

PS: Se tem livros para doar, entre em contato comigo através do blog : você estará fazendo um Paulinho feliz !!

terça-feira, 6 de novembro de 2012

A Ditadura do Celular

Há pessoas que fazem com que as coisas fiquem especiais. Uma que convivo apelida-se Duda. Consegue colocar humor refinado, no modo de falar e colocar as palavras, como poucos.

Ontem falava sobre a sociedade neurotizada que vivemos: Muito barulho nas Igrejas.,falta de cordialidade no trânsito,pressa, muita pressa. Tudo colocado de modo engraçado. Aí ele deu show ao falar do uso do celular.

Antigamente os malucos eram logo notados quando falavam sozinhos. Com o advento do celular, falar sozinho pelas ruas se justifica. O aparelho não é acessório, faz parte do indivíduo. Quer se comunicar com o sujeito, ele tira o fone de ouvido como se fosse o pior ato do mundo, uma agressão à sua individualidade. Não se tem um celular, ele nos possui.

Pérolas, Duda, pérolas.

Um dos meus melhores amigos do momento me passou uma sentença: "Paulinho, o celular tem que estar ao seu lado e você deve conferir sempre se alguma ligação passou desapercebida..." Ah, tá , João. Sabe quando você consegue obter aquela posição no sofá? Aí o danado toca lá não sei onde?

É... não se vive sem o danado...! Já se viveu sem ele ????

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O Maior Brasileiro de Todos os Tempos

O Programa do SBT que pautava a escolha do chamado Maior Brasileiro de Todos os Tempos rendeu a Chico Xavier o privilégio do título. Ótima escolha. Figuraria também entre os meus  escolhidos. À frente ficariam Santos Dummont, Tiradentes, nesta ordem e, logo seguinte ao médium, figuraria o Maestro João Carlos Martins. Falo deste último.

Sincero, não conhecia João Carlos Martins. Não sabia que um brasileiro era o pianista maior na execução de Bach. Ah, por isto você o credencia como o Maior Brasileiro? Respondo que ele é muito mais que isto .

A juventude , ou melhor, esta geração de brasileiros precisa de bons exemplos. Precisa acreditar que há gente que consegue transformar a realidade pessoal. Se se consegue mudar o nosso eu, há de se conseguir mudar uma sociedade inteira. Utopia ? Seria, se não houvesse figuras como João Carlos.

Pensei em seguir com o texto, mas penso que melhor continuar em vídeo. Talvez seja o que me fez admirar e acreditar no poder de superação que o ser humano ainda possui. Chega de papo e vamos ao vídeo !!!



Não aguentei e vai mais um que... vejam !!!



Há de se mudar os paradigmas. Com respeito que merecem Dummont, Tiradentes e Chico Xavier, penso que o Maestro João Carlos Martins é o Maior Brasileiro de Todos os Tempos.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

No Topo da Serra


E lá eu cheguei
Vi , vivi e venci
40 anos de boa vida
De boas vindas
De muitas alegrias
De um copo meio cheio...

Estou no topo da Serra
da vontade incontrolável do grito
da gratidão incontida
de achar graça na vida
e ser só ação de graças.

Vida de sonhos, de arte
fazer arte e cultivar sonhos
torná-los realidade e não fugir dela
Ver o avesso de tudo
A idade me permite
Ver tudo e interpretar os fatos
Por pelo menos dois ângulos.
(Só permitido a quem tem um passado
e se permite se inserir num futuro).



Foi uma subida difícil por vezes
O que aumentou o prazer da chegada
Como diz Benjor : não é DVD de fim de carreira
É comemorar um passado conquistado
e um futuro com coisas e pessoas a conquistar.

Agora vi e me orgulhei:
Sou 40 quando Gil e Caetano são 70
Bom chegar a idade de perder a razão
de não precisar sermos ninguém
a não ser nós mesmos
de assistir a um Teatro Mágico
e concluir que a beleza das palavras
estão nas palavras e atos
dos sujeitos simples.

A todos que fizeram/fazem minha vida
valer a pena...

Parabéns por este dia, vocês merecem !!!

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Santo Alceu das Letras e Músicas

Com vocês, o Rei dos Palcos, Alceu Valençaaaaa !!!!!

Assim começa o DVD que tenho aqui em casa. O Rei dos Palcos. Comunicador de massas. Este é o nosso Alceu. E olhe que o possessivo anterior não é só figura de estilo, não!! Quem assiste ao show não percebe um artista distante, estreloso. É um cara da gente, parece gente de casa.

Bom, a casa em questão foi São Tomé das Letras, na festa de Agosto. Temos frequentado um pouco mais aquele lugar místico e , se tem um show deste tamanho, não poderíamos deixar de ir.

As primeiras lembranças que tenho de Alceu vem da tentativa de primeiros acordes ao violão para cantar Anunciação (Das brumas leves das paixões que vem de dentro...). Também era interessante vê-lo nos clips dominicais do Fantástico: as músicas e a performance do artista chamavam a atenção. E outra, músico bom de carnaval tinha que tocar Alceu.

Valença é aquele artista que não copia ninguém, tem estilo próprio e se orgulha disto. Gosto quando ele fala que sua inspiração veio dos circos "safados" que iam a São Bento do Una. Como bons palhaços, Alceu é rei de palcos, domina a comunicação como poucos vi até hoje. Em São Tomé teve a felicidade de criticar a moçada de hoje que quer cantar como americanos. Criticou e deu uma pequena aula das origens da música brasileira. Este é Alceu Valença, o que faz de pequenos trechos melódicos um mantra arrebatador e estranhamente renovado. Tudo a ver com o ambiente de S. Tomé.

Olha, valeu Valença !!! Espero ainda revê-lo de perto. Enquanto isto, procuro alguma coisa no You Tube sobre o show de São Tomé. Deixa ver...Achei, curtam !!



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Estatísticas da Religião

A troca de ideias é primordial. Quando estas estão cheias de humor nas considerações e quando o respeito impera, então elas são imperdíveis.

Ontem conversávamos no Restaurante Solidário sobre o decréscimo de fiéis da Igreja Católica. Minha tia citou a opinião de um analista: "Não se perdem fiéis, se perdem infiéis". Motivo de risos.
Outro veio com uma metáfora: "Aqueles que vão às Missas e ficam do lado de fora da Igreja, saíram de vez !!!". Motivo de reflexão. Um terceiro sentenciou: "O problema é que o número dos que não tem religião cresceu junto". Motivo de preocupação.

De minha parte, falei do que conheço: o mundo católico. Esperem e verão que o número dos que se dizem católicos continuará caindo e depois se estabilizará. Ficarão os que conhecem e amam a Igreja. Os que tentam se justificar através de uma organização religiosa incharão os números de outras denominações.

Há uma tendência de que, daqui a uns 20 anos, o nível de escolaridade do decrescido número de católicos fique semelhante ao dos adeptos do espiritismo.

Imagem: laodiceiaigrejadofim.blogspot.com

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tiro e Queda- Caderno Gerais

Ok, ok , sou filho do Sô Rubens e gosto de jornais. É a fonte do meu Big Brother da vida real. Estranho é você gostar de discutir os acontecimentos do Reality Show (seriam reais mesmo? E a revelação jornalística beira a verdade?) e virar o nariz ao me ver ler as minúcias do noticiário.

Beleza. Não  era nada disto que queria falar, como sempre. É que leio diariamente, quando posso, o Estado de Minas Digital. Um amigo quase me matou quando disse a ele que pagava 5 reais mensais para ter acesso ao conteúdo integral do jornal impresso. Tendo em vista que tem gente que "investe" muito mais em coisas discutíveis : continuo com minha assinatura. Falei !!!

Então... Tem um Caderno no EM chamado Gerais. Ali pouca coisa me interessa. Mas tenho que clicar ali para ler a crônica do Tiro e Queda. Aprendo muito com o philosopho. Escreve de maneira muito engraçada, de maneira ímpar. Assuntos do tipo impensáveis. Gosto.

Ainda não terminei de ler a coluna do Eduardo Almeida Reis, o philosopho, e ele conseguiu com que eu parasse a leitura e me dirigisse para o blog. É que ele mexeu comigo. Sabem aquela coisa de Caetano, do avesso do avesso do avesso. Pois é, vou citar o Eduardo , que cita Renato Zupo, juiz de Direito de Araxá. Ele, philosopho, chama sua citação de Sintonia. Gostei. Estou sintonizado com as ideias dos dois. Vou transcrever CTRL C +CTRL V  e veja se você também está sintonizado. Vejamos:

"Sintonia
Tenho ideias muito parecidas com as do excelente Renato Zupo, que é juiz de direito no Araxá, enquanto não passo de modesto cronista de aldeia com experiência de quatro dias como advogado do Sindicato dos Padeiros do Estado da Guanabara.

Hoje, peço licença ao ilustre magistrado para transcrever parte de um texto seu publicado na revista Justiça, em julho de 2012. Vamos lá. “OS INFATIGÁVEIS – Imagino como deve ser frustrante a profissão de policial. O sujeito ganha pouco e convive com marginais do pior tipo, perde noites e dias de convívio com gente decente, com seus familiares mais queridos para se imiscuir em bocas de fumo e trocar tiros com traficantes. Depois de sangue, suor e lágrimas (quase literais), prende bandidos, gente que nos faz mal, gente que nos põe medo. E o que acontece em seguida? Vê o criminoso solto por conta de uma legislação que nem se pode chamar de branda, é uma verdadeira calça-arriada, é um abrir de pernas para a bandidagem, é um "liberou geral". Vê uma tecnicalidade em mãos de um advogado habilidoso se transformar em chave para a abertura da porta da cadeia para o marginal arduamente preso. Vê um magistrado bonzinho, que quer recuperar o criminoso e ressocializá-lo, colocar o réu em prisão domiciliar ou recomendar seu acompanhamento por psicólogos, ou diminuir-lhe a pena pela leitura ou por laborterapia. É mais ou menos assim: leu "Chapeuzinho Vermelho"? Um dia a menos de pena. Plantou alface na horta do presídio? Uma semana a menos de pena. São, mesmo, incansáveis os nossos policiais. São infatigáveis. Têm que ser. Se não forem, se desistirem de nos proteger, coitada da nossa sociedade.”

COMENTÁRIO DO BLOG : Sintonizado com o juiz de Araxá !!!

terça-feira, 24 de julho de 2012

João Ubaldo: Viva o Povo Brasileiro

Gosto dos baianos. Gosto da música baiana. Dos pensadores baianos. Bahia...

Alguém disse que a inteligência brasileira nasceu forte na Bahia e perdeu a força ao andar pelo
Brasil. Fora os exageros, coincide que grandes figuras da arte em geral (onde espero encontrar os melhores pensadores) são baianos. Viajando a Porto Seguro, percebi que o baiano comum, aquele que te recebe nos serviços cotidianos, tem uma dose de talento diferenciado. Não tem jeito , gosto da Bahia.

Certa vez, em um DVD, Marisa Monte dizia que estava lendo Viva o Povo Brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro. Gosto demais da Marisa e uma dica dela não se despreza. Havia ouvido falar dele pelo O Sorriso do Lagarto, série da Globo que na época não me interessou. E... fui ao livro da Marisa, ou melhor, do João Ubaldo.

Amigos, está , sem dúvida, entre os 10 melhores que li. Grossão, tá certo, mas é impressionante a forma que ele nos prende. Se não tomar cuidado, se relega coisas importantes a segundo plano por causa do mardito. Coisa de escritor baiano. Leiam e me contem. Ah, uma experiência boa: tinha um colega professor afeito a boas literaturas. Combinamos de ler juntos o livro para comentar. Muito legal, parecíamos aquelas comadres noveleiras que julgavam os personagens.

Enfim, gosto também do Programa Roda Viva da TV Cultura, que também passa na TV Brasil ( e Rede Minas por consequência). Cheguei de um compromisso e fui logo querendo saber quem seria o entrevistado. Para minha alegria estava lá o velho Ubaldo, bom baiano. Falar grosso que lembra Caymmi, incisivo como Caetano e Gil , lúcido como os grandes eruditos baianos que não se ensoberbecem pela sua cultura, antes a usam como um modo de simplificar os grandes pensamentos.

Deixo aí para vocês ( e para mim ) uma boa conversa com o homem do Viva o Povo .

segunda-feira, 16 de julho de 2012

À minha Virgem do Carmo






A mais linda imagem que vi
Ali na minha S.João
Passava com gosto pelo lugar
Apreciava, bom lugar para rezar
A Deus, com minha Virgem do Carmo.

Não entendia ainda a devoção
Não conhecia a história de Simão
Mas sei contemplar a beleza
De uma Mãe, na sua natureza
De Mãe, não precisa muita explicação.

Escapulário, vi muitos usarem
Não entendia o significado
Seria um sinal de cuidado
contra o pecado que teima em vir?
Depois o vi como um compromisso
Nada mais do que isso
Eu amo a minha Mãe e ela
Me faz amar o seu filho !!!

Quando for a São João dos Reis
Visite a Mãe do Carmo
Contemple sua beleza
E , nunca se esqueça
Não há alegria que se compare
Àquela que nos espera
Quando partimos desta Terra
E encontrarmos com a ternura
Da Mãe do Carmo, a Mãe do Céu.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

São Pedro e São Paulo

Fazendo minha Lectio Divina me deparei com o dia 29 de junho: São Pedro e São Paulo. Estes aí merecem que eu escreva a minha experiência com a vida deles. Vamos lá !!!

Pedro, me identifico muitas vezes, cabeça dura. Sabe aqueles caras que perdem sempre a oportunidade de ficar quieto. Não tem jeito, dou risadas quando leio ou vejo em filmes os foras que ele dava. É porque me identifico... Alguém certa vez disse dos dois traidores de Jesus e das suas diferenças. Judas, o mais famoso, não confiou na misericórdia de Deus. Pedro, chorando com as vísceras, viu a burrada que fizera, mas conhecia bem o Mestre e  se abrigou (palavra bonita) na sua bondade. Afinal, havia convivido com aquele que conhecia os corações e suas fraquezas. Meu amigo, Gustavo, da Tida, não é lá assim muito afeito às coisas de religião, mas a figura de Pedro, no filme de Zeffirelli, o cativou. E, no final da história, o casca dura é convidado pelo Próprio para tomar conta da Instituição. Até para que percebamos como o Espírito de Deus capacita as pessoas...

Paulo, meu xará. Dizem que o nome significa o pequeno, o menor. É aquele que caiu do cavalo. A cabeça do cara era privilegiada. Mas , é aquele negócio, usar dos dons para fazer o bem... E ele o fez. Tinha um dom de persuasão fenomenal. Comecei a ler um livro, até não religioso, sobre a vida de Paulo, escrito por um ateu. Cara, não precisa ser religioso para perceber que Paulo, ex-Saulo, era um desses diferentes. O cristianismo sai dos limites de Jerusalém e vai até o centro do mundo conhecido, e chega até nós. Coisa de Deus, por Paulo e seus companheiros. Cessadas as palavras, fico com um dos melhores momentos de Paulo, ao perceber que o fim chegara :


"Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima.7.Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.8.Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição." II Tm 4, 6-8

Já pensaram o Paulinho aqui , chegando o ocaso da sua vida , poder repetir as palavras do Paulão ?

Fica aí um vídeo para ilustrar.



João Gilberto se explica ?

Taí o melhor trabalho que tenta melhor explicar João Gilberto. Como diz Nelsinho Motta ,  a música de João é daquelas de detestar ou de gostar compulsivamente.

Muitos me chamam de estranho por gostar tanto de João Gilberto. E eu acharia estranho se não gostasse. Paradoxo ? Uma palavra boa para silenciarmos e só percebermos a leveza e doçura do Mito.

Vai principalmente para quem elegeu a música como arte preferida.


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Pronto para mudar o padrão ?

Se eu não mudar, nada muda. Um aforismo daqueles!!! O pessoal tem falado mal deste tipo de colocação mas ele serve para pensar. Este em especial :

Há uma tendência que qualquer mudança aconteça a partir do outro. Uma posição cômoda, mas perigosa. Mudança mais profundas não começa no ex e sim no intra. Esperar a mudança do outro? E se ele não quiser? Até quando vou colocar ,talvez ,minha felicidade na postura do outro?

É lindo pensar que até Deus não faz nada "por" nós. Ele só faz o que não podemos fazer. O que nos compete não esperemos que Ele faça. É a vontade dEle : é um Deus "Conosco", que conta com a minha participação.

Aí vem a questão da vontade. A boa vontade ou a força de vontade. Uma não exclui a outra. A boa vontade está sempre ligada ao bem, ao fazer o bem. Boa vontade sempre é coisa de Deus. Tem tudo a ver com aquela participação que falamos atrás. A força de vontade é mais perigosa. Pode ser usada como desculpa para a imposição. Se usada para a boa mudança , dê força para ela, se não ...

Exercitar a vontade provoca mudanças. Imagine que se pratique um vício durante , o quê, 30 anos. Está ou não está caracterizado um procedimento padronizado? Mudar isto é fácil ? Fácil não é , impossível sim, se não quisermos. Acostumamos, acreditamos que aquele procedimento era o correto só porque o praticamos durante muito tempo_ mesmo se nos causasse prejuízos. Mudar padrões é questão de nadar contra a corrente, exercitar, sem medo, com ajuda. Ah, Paulinho, ajuda de quem? Por experiência pessoal : Deus, minha boa vontade e um amigo (que pode ser um profissional da alma: religioso, psicólogo, um bom livro ...). Trabalhar sozinhos nestes assuntos não costuma ser uma atitude sensata. Beira a "força de vontade" do mal.

Falei demais. Tô aprendendo que querer mudar o outro é uma tarefa que beira a insanidade. Então que a mudança comece comigo. E que seja, quem sabe, contagiante.

Imagem retirada de sofrases.com

sábado, 16 de junho de 2012

Mauá, Empresário do Império (Jorge Caldeira)

E, terminamos a leitura de mais um livro. Desculpem, não é "mais um livro". Jorge Caldeira consegue dar uma empolgante aula (no sentido lúdico da palavra) de história do Brasil baseada na figura de um personagem especial para esta mesma história. Nos livros didáticos, a figura do Barão de Mauá era colocada de forma demasiadamente sintética. Ele era apenas o homem que construiu a primeira estrada de ferro do Brasil. Ah, esses livros didáticos...

Quando em vez, a TV Minas estava passando o filme Mauá, O Imperador e o Rei . Assisti-lhe e me interessei pela figura do Barão. A atuação de Paulo Betti também me aguçou o interesse. Nestas minhas peregrinações pelo Sebo do João , ali na Bernardino Macieira (Rua do Fogo), acima do antigo Bar do Alaor, encontrei este livro a preço que só o João consegue promover. Comprei-o. Não me arrependi.

 A história de Mauá corre por todo o Império, criação e ocaso. A figura de Pedro II tinha minha admiração, um pouco infantilizada. Havia lido sobre o compositor Carlos Gomes, que também viveu sob a era do Segundo Império. A vida do Barão, depois Visconde, descrita neste livro , faz entender algumas coisas sobre o nebuloso mundo político de um país em lenta construção, em que a lei era fachada para alimentar egos e fomentar antipatias particulares. Compreendi que os visionários , os que enxergam à frente de seu tempo, não são só incompreendidos mas, também ,veementemente combatidos. Caro leitor, se suas ideias forem aquém do senso comum, espere perseguições baseadas na inveja e nos ciúmes.

Se naquele tempo houvesse um Nobel de Economia, o Brasil teria seu primeiro prêmio. Mauá era tido como um dos homens mais influentes para a economia mundial, principalmente pelos ingleses, monopolizadores da economia da época. Aliás , eu , que pouco entendo de Economia e só agora precisei estudar um pouco sobre Administração, passei a compreender que os bons administradores enxergam mais que lucros : visam o desenvolvimento econômico e social de um país a partir da relação de respeito com o trabalho e seus trabalhadores.

 É um livro para quem quer aprender sobre histórias de superação, de conspiração, de aventura, de visão de mundo, de relações sociais e políticas , de amizade e perseguição, e, outras histórias de vida.
.
 Realmente, o filão das biografias é muito interessante. Já passei por Paulo Coelho, Carlos Gomes, Assis Chateubriand e finalmente com Mauá. Uma vida, uma boa história, um bom escritor, uma boa leitura, um lazer. Prazer.

Agora é rever o filme e fazer uma releitura.

 Recomendo.

sábado, 9 de junho de 2012

Simplesmente Perfeito (Estado de Minas de hoje)

Agorinha me deparei com um artigo do Estado de Minas de hoje. É que estão lançando um livro "diferente" sobre a obra de João Gilberto.

O modo de ser ,e cantar,  e tocar, do João é mais que um estilo musical. Pode ser encarado como um estilo de vida. O ser contido , onde o menos é mais, faz com que a tamanha simplicidade beire a perfeição.

Realmente, a música de João Gilberto é uma música de câmara. É para quem curte música. É para quem gosta de escutar boa música. Em silêncio... inclusive na alma.

Os bons da MPB tem João como o guru. Os brasileiros pouco o conhecem. Os jazzistas e analistas estrangeiros o consideram gênio.

João Gilberto é o cara aos 81 anos de idade e 60 de carreira.

Pena que os livros no Brasil são caros. (Os incentivos deveriam sair um pouco dos carros e ir para a alimentação _ cultural e propriamente dita_ e para os remédios. A gente tá cheio de carros nas ruas . A gente tem fome !!!). Mas é um livro que vale a pena como valeu o Chega de Saudade de Ruy Castro.

Agora silêncio, que o João vai cantar.









João Gilberto
Organização de Walter Garcia
Editora Cosac Naify, 512 páginas, R$ 215

Como obra de referência, João Gilberto traz ainda cronologia da vida e obra do cantor, discografia e bibliografia selecionada.

Isto é João Gilberto
Trechos do livro


“Aproximar-se dele é uma proeza, mesmo para seus íntimos. Capaz de entreter seus interlocutores durante horas ao telefone, de provocar admirações excessivas com suas canções sussurradas e conversas fascinantes sob a proteção do telefone, o intérprete mais procurado do Brasil ama os outros de longe e os detesta de perto, pela complacência deles diante da imperfeição, pela indiferença que demonstram diante do valor infinito do trabalho. Com João Gilberto, o exercício da entrevista, repleto de armadilhas, tem a ver com a história do gato escaldado. Cada pergunta atrai o seu duplo invertido.”
Entrevista de Véronique Moertaigne, Le Monde, 25/5/91

“Apenas a voz e o violão de João Gilberto já são a quintessência de sua própria orquestra. Para mim ele está no nível mais alto da música de câmara clássica, mas com uma paixão muito mais vívida. Acho que a música e a comunicação fluem acima do nível do significado direto das palavras, e é por isso que, nas canções do João Gilberto, o impacto das palavras acaba um pouco eclipsado pela beleza da música que sustenta a letra. E, de fato, no caso desse artista, o som da língua portuguesa jamais poderia ser substituído por outra língua.”
Chick Corea, pianista e compositor

“Ha algum tempo escrevi que talvez João Gilberto fosse o cara mais cool sobre a face da Terra. Pois eu continuo pensando do mesmo jeito, e acho que ele é um cantor de um talento incomparável. Ou melhor, se fosse compará-lo com outro cantor americano, acho que o único que estaria à altura de João Gilberto seria Frank Sinatra. Mas, ainda assim, acho que João Gilberto é maior porque todo o estilo musical, a bossa nova, foi criado em torno dele.”
Jon Pareles, crítico de música do The New York Times

“João Gilberto e Guimarães Rosa compartilharam o mesmo tempo da obra. Ambos expuseram as principais diretrizes de seus projetos de linguagem – além de apresentarem o essencial de sua produção – em consonância com um mesmo mundo intelectual e político. Diante desse mundo, construíram projetos de linguagem que, num sentido muito preciso, ainda hoje funcionam como uma forma de ação – um ato de fala – que cada um deles produziu para reagir a fatos presentes ou criar futuros.”
Helóisa Maria Murgel Starling, professora da UFMG

“O violão brasileiro não se prestava a esse tipo de coisa como o João faz hoje. Ele tinha somente duas funções: ou era solo, com aquele repertório tradicional, ou então fazia parte da formação dos conjuntos regionais. Cavaquinho no agudo, o bandolim, o violão de sete cordas, pandeiro. Sabe o que o João fez? Subtraiu na formação do regional. Retirou os agudos do cavaquinho e do bandolim. Retirou o pandeiro. E retirou o violão de sete cordas. Com todas essas subtrações ele teve que redimensionar o violão inteiro, senão seria só prejuízo, perda.”
Aderbal Duarte, violonista e compositor

sábado, 2 de junho de 2012

Cinquentões , Setentões e a Boa Música Brasileira

Hoje me permitam fazer diferente . Vejam o vídeo, depois a gente conversa , ok ?





Pois é, o tempo passa. Falava disto na postagem anterior. Há 30 anos o Brasil experimentou uma música diferente. O Rock Brasil dos Anos 80 foi ... hum, diferente !!!

Antes de entrar no mérito, queria falar do Nelson Motta. Penso que quem gosta de música popular brasileira pós bossa-nova não pode deixar de ler o seu livro Noites Tropicais. Nelsinho , além de ótimo escritor, viveu de perto, melhor, participou daquilo que escreve. Tem nohow.

Voltemos aos Anos 80. Há algum tempo tenho me contido ao falar da música destes anos. Cheira saudosismo e ... sei lá, fica uma coisa meio narcisista. O fato é que, quando se fala de Rock Brasil daqueles anos, vê-se um brilho nos olhos do pessoal da casa dos 35 em diante.

Aqueles que não viveram , mas percebem a euforia dos balzaquianos, se interessam. Dias atrás um cunhado, cujo pai tá na casa dos 40, tentou justificar a luz dos Anos 80: segundo ele poderia haver uma conjunção astral muito especial que fez desta época , uma época transcendente. Pode ser.

Música brasileira. Gosto que me enrosco. Este ano é daqueles bons , comemorativos. Estão fazendo 70 anos, (com jeito de 20) : Gilberto Gil, Caetano Veloso , Milton Nascimento e Paulinho da Viola. Notem que , nos anos 80, estavam também mandando bala.

E hoje, Paulinho ? Olhe, amigo, tem acontecido muita coisa boa. Tem que se garimpar. A fartura de talentos ficou para trás. Desculpe a franqueza que beira o pessimismo.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Se é amigo : relaxa !!!

Quarta-feira foi dia de dentista. Seria terrível se a profissional não fosse a gente boa que é. Diria que a amizade dela diminui muito o incômodo (e o medo)da sessão. Dizemos aqui em casa que nossa dentista é uma festa.

Falando em festa, ela aniversaria por estes dias. Conversa vai, conversa vem ,ela nos olha com aquele olhar ansioso e pergunta: "Nossa,como vou receber os convidados? Fico com medo de alguém ficar mal servido...". Logo respondi: "Relaxa, se são seus amigos, você não precisa se preocupar". Chegando em casa, fiquei pensando nesta questão da amizade, de festas, etc..Cheguei a algumas conclusões , que podem não ser gerais, mas refletem a minha experiência no assunto. Vamos lá :

1)O amigo, ao ir à sua festa, tem um só objetivo: participar da sua alegria.
2)Na maioria das vezes, o amigo o ajudará se perceber que você está com alguma dificuldade.( Maria nas bodas de Caná!).
3)O amigo não está ali com a intenção egoísta de ser servido,ele te ajudará a servir e, se o não puder fazê-lo, pelo menos não atrapalhará.
4)Amigos não põem defeitos em nada. Se alguma coisa não o agrada, ele, em honra à amizade, ficará em silêncio e não deixará nunca que você perceba.Amigos não são exigentes. Para eles "tudo tá bão!"
5)Não terão a atitude mesquinha de falar mal de alguma coisa da comemoração.
6)Se você não usa certos produtos usados pelo amigo,ele tem a liberdade de perguntar: "Pode trazer?".
7)Uma maneira de reconhecê-lo é no revelar das fotos com você. Os insatisfeitos sempre ficam com cara feia.
8)Geralmente o amigo já participou de outros momentos em sua vida : alegres ou tristes.
9)Respeitar o ambiente e as pessoas da sua casa é coisa de amigo!!!
10)Laços sanguíneos não são , necessariamente, laços de amizade.

Amiga, curta sua festa, convide só amigos e... relaxa !!!

sábado, 14 de abril de 2012

E o bêbado roubou a cena !!

Visitando o Manicômio News vi esta pérola do humor espontâneo. Reconheci o ambiente: Igreja do Carmo de S.João del Rei.
A entonação de voz do cidadão é de alguém que sempre sonhou ser ator de teatro.
Divirtam-se.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Tempestades (Pe. João Carlos)


Como enfrentar as tempestades da vida ? Vez em quando elas virão. E agora ? Oque fazer?



Grande nome da música católica, o salesiano Padre João Carlos possui o dom da comunicação.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Os óculos da distância


Aquele ser arrogante logo diz: "Eu não preciso de profissionais ,nem de grupo de ajuda: eu me autoanaliso".

Eu de cá me lembrava do pensar científico que alerta que nenhuma análise está isenta da interferência do observador. Os patriarcas do deserto (Bento, Evágrio e outros) nos garantem que isto vale para a autoobservação. Ninguém dentro do problema o observa com isenção. Com certeza os que não estão envolvidos no mesmo darão uma opinião mais acertada.

Vai aqui a valorização da "Direção Espiritual" e da "Terapia de Espelho".

Para as coisas da alma é perigoso andar sozinho. Um bom conselheiro, que mantenha certa distância de você e que é conhecedor dos labirintos da alma humana, pode ser indispensável. Dizem que quem encontrou um amigo encontrou um tesouro. Eu acrescento que quem encontrou um bom Diretor Espiritual poderá encontrar o mapa da mina : o conhecimento de si mesmo. Como encontrar uma boa Direção Espiritual pode ser assunto para outra postagem.

A Terapia do Espelho é a síntese do distanciamento oportuno . Pode consistir em se olhar na pessoa do outro, na experiência semelhante vivida pelo outro, vista por nós à distância segura. Muitos a fazem em grupo, outros, na companhia de um amigo. Quem já fez esta experiência garante que é uma maneira até mesmo prazerosa de auscultar suas dificuldades existenciais.

Para não julgarmos a nós mesmos ,através do apontar de dedo ao próximo, que usemos os óculos do amor. Para enxergarmos nossos problemas com isenção, valem os óculos da distância.

Imagem :factordigital.blogspot.com

sábado, 7 de abril de 2012

E a Dona Morte? Morreu...



Ùnica certeza da vida
Medo de todo homem
Ela perdeu seu sentido...

Castigo de todos
Por erro de um
Está presa dentro do túmulo vazio...

Só um Deus-Homem podia vencê-la
E a venceu
Destino de todos os que crêem: a Vida
O Homem, agora, ser eterno

Tudo tende ao infinito
Porque o amor tudo vence
Ele cala a opressora
Dá voz aos seus amigos

Ò morte, você perdeu.
Em Cristo, vida eterna.
Jesus venceu a morte?
Então que eu não viva,
que Cristo, Rei da Vida,
Viva em mim.

terça-feira, 27 de março de 2012

Não vem de vós !!!



Neste período da liturgia católica que chamamos quaresma, percebo um tempo de reavaliação. Diria ser um tempo de autoconhecimento a partir de Deus. De minha parte, as leituras tendem a ser de cunho espiritual. Acho importante viver junto com as "cores" da minha religião.

Leio o livro "O céu começa em você_A sabedoria dos padres do deserto para hoje" de Anselm Grün . Os antigos monges não se cansam de alertar para o perigo da soberba. Quer maior falta de humildade do que não se conformar que sou um ser falho, cheio de obscuridade e que somente Deus pode me fazer melhor?

Senta que lá vem história:

Quando cursava o ensino médio no CNEC (anos 90) eu tinha um colega evangélico. Este vinha de uma viagem ao Sul, cheio de alegria por participar de um evento religioso. Comentando comigo sobre a viagem, deixou uma fita K7 (ainda se usava esta mídia) que continha a pregação de um pastor. Confesso que recebi a fita mais por educação. Ela ficou lá em casa uns dias até chegar a véspera de eu devolvê-la. Humm...tinha que escutar alguma coisa para comentar com o amigo .Ouvi. Se gostei? Gostei muito!!! O pastor passava uma mensagem que resumida citava o fato de haver muitos "santarrões" na igreja e lembrava , quase minuto a minuto, a passagem de Paulo que dizia : "Não vem de vós, é dom de Deus". Amigos , aquilo virou um mantra na minha vida. Quando a soberba quer sobressair em mim após qualquer vitória vem a frase como um lema : Não vem de vós !!!
Tenho repassado esta mensagem e um amigo em particular me saúda dizendo: Não vem de vós ( Abraço, seu Renato ).Tem sido bom gravar na minha mente e coração esta verdade.

Esta postagem foi inspirada num texto que deixo neste link Orgulho e soberba são a mesma coisa?.

De brinde vai o podcast :



Feliz Páscoa !!!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Crash- No Limite



Outro dia uma coisa nos chamou a atenção: dois canais de filme exibiam a mesma atração na mesma semana. Estranhei. Estava claro que eu deveria assistir ao filme.

Crash -No Limite . O tema da intolerância e preconceito sempre será atual. O diretor consegue colocá-los com talento: surpreendendo e fazendo pensar.

Nossa sociedade está armada. O outro é sempre um perigo, um adversário, um inimigo. Mesmo os bons não consegue ver bondade na aparência do outro. Alma não tem cor, não tem religião, não precisa parecer o que não é. Simplesmente somos.

Mexeu conosco o filme. Mereceu o oscar.

Recomendamos.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Mascarados


Mais um carnaval
de ideias,de sonhos
de sons
do solidário descanso
Do descaso
Das cinzas que chegam
dos amores que foram
dos filhos que virão
Tudo é festa
Tudo é fresta
Da porta da vida
Quero me acabar
Inundar-me de desejos
O Carnaval que vejo
é o ocaso da festa
a ocasional alegria
e a permanente tristeza
De quem é feliz
Somente no tríduo de Momo
E no valor (passageiro) da beleza...

Postado originalmente em 02/03/2011 !!

Obrigado pela visita !!!

Seguidores

Postagens populares

Arquivo do blog

Marcadores